Outros caminhos da noname

Outros caminhos da noname

24/05/2013

326 - Baptista Bastos


A certa altura da vida, começamos a aprender a esperar o tempo
A certa altura da vida, o que nos mata não são as horas
O que nos mata, são as palavras e a ausência de palavras

Baptista Bastos


1 comentário:

  1. Diz o povo que «palavras leva-as o vento»...
    As de políticos e pessoas sem palavra... deviam ser mortas e enterradas, por inócuas e porque a gente se farta delas...
    De facto, as realidades são sempre bem outras.
    Beijo.

    ResponderEliminar