23/10/2013

358 - Saudade


Há dias... Em que a saudade faz da minha casa a casa dela


1 comentário:

  1. No tempo de um outono cinzento, frio e ventoso, prenúncio
    do inverno que está pronto para entrar... a casa torna-se
    o refúgio único ... da nossa imensa saudade de tudo o
    que foi importante na nossa existência, por mais mesquinha.
    E todas as existências são bem mesquinhas, mesmo
    as mais ilustres. Perante os deuses imortais... não somos nada,
    não valemos nada.
    E até saudade passa a ser fruto proibido...
    Beijo.

    ResponderEliminar