Outros caminhos da noname

Outros caminhos da noname

24/03/2017

644 - Em Abril, palavras mil


ditas em Março


Eu já deixei, não palavras minhas, mas as que alguém escreveu e, eu gostei.

Gostaria de outras ver, 
quem sabe... as traz a chuva, 
ou o vento, ou frio, ou as flores que já espreitam, 
ou outro motivo qualquer.



É chuva de vida
ou de pensamento?
Se chove tanto,
chovesse mais...
Mais que chuva,
mais que vento:
chovesse Céu.

Chovesse o Céu, eu voaria?
Ventaria feito papel?
Se eu voasse, nadaria?
Ou eu, pipa, levada ao léu,
da chuva me encharcaria,
à mesma força que me nasceu?

Que chuva chove?
Se é de vida,
chovesse o Céu!

Célia Lima

2 comentários:

  1. A Chuva lava a alma
    lava a gente
    lava o ateu e o crente.
    É riqueza abençoada
    sem água não haveria vida
    Não haveria nada
    ficaríamos secos e empedernidos.
    A água é como a luz que vem do céu
    sem ela o mundo seria negro
    como uma imensa noite de breu.

    Minha querida a esta hora
    e assim de improviso
    e ao correr da pena
    depois de uma noite
    mal dormida e de insónia
    é este o meu sentido
    contributo, apesar de
    simples e sem laivos
    de genial poesia
    saiu do coração
    directo para o teu
    que bem o merecia. :)

    Beijinhos, Noname.

    Nem sei o que escrevi para trás
    amanhã virei ver que hoje já
    não me aguento de olhos abertos.

    Beijos no e do coração!

    Janita

    ResponderEliminar
  2. Poetas de Abril :) Beijinhos

    ResponderEliminar